Confiança dos pequenos negócios mineiros cresce em dezembro

Construção Civil puxa resultado do Iscon, índice que mede o ânimo dos empresários em relação ao desempenho das suas atividades

Os pequenos negócios da Construção Civil de Minas Gerais são os únicos que avaliaram positivamente o desempenho das condições para os negócios de seu ramo de atividade no último trimestre de 2021. São também os que estão mais otimistas em relação ao primeiro trimestre deste ano. É o que mostra a pesquisa Índice de Confiança dos Pequenos Negócios (Iscon) de dezembro. Enquanto o índice de confiança geral dos pequenos negócios ficou em 116 pontos, o Iscon da Construção Civil fechou em 129.

O Iscon do setor aumentou 13 pontos em relação a novembro. Esta foi a segunda maior variação desde o início da pesquisa, em janeiro de 2021. A maior elevação no índice de confiança do setor, de 15 pontos, foi em maio. A elevação do Iscon da Construção no último mês de 2021 foi puxada tanto pelo Índice de Situação Recente (ISR), que subiu 11 pontos, quanto pelo Índice de Situação Esperada (ISE), que aumentou 14 pontos.

O ISR, junto com o ISE, são os subíndices que compõem o Iscon. Contudo, o ISE tem peso dobrado no cálculo do índice que mede a confiança dos pequenos negócios. “Houve uma desaceleração nos preços dos insumos e equipamentos e, para alguns segmentos da Construção Civil, a expectativa com a elevação de gastos públicos com obras durante 2022, um ano eleitoral, também pode ter contribuído para o aumento da confiança”, avalia Paola La Guardia, analista da Unidade de Inteligência Empresarial do Sebrae Minas.

Já a Indústria apresentou um crescimento de 7 pontos no Iscon, saltando de 109, em novembro, para 116 em dezembro. O setor de Serviços registrou um crescimento de 6 pontos no índice de confiança, com um Iscon também de 116 pontos. Já o Comércio saltou de 110 para 115 pontos no Iscon. “As festas de fim de ano impactaram positivamente a avaliação dos empresários em relação ao momento presente, o que justifica o salto de 10 pontos no ISR do Comércio em dezembro”, explica a analista.

Confiança aumenta no curto prazo

O Iscon de dezembro fechou em 116 pontos, valor próximo ao de tendência à estabilidade (próxima de 100 pontos) com expectativa de leve melhoria. Em relação a novembro, o indicador teve um aumento de 6 pontos. A pesquisa ouviu 1.225 participantes entre os dias 9 e 21 de dezembro.

O Índice de Situação Recente (ISR) subiu 6 pontos em relação a novembro, e fechou em 85 pontos. “Apesar da leve melhora, o ISR ainda indica que houve uma piora nas condições econômicas nos últimos três meses, na percepção dos empresários”, comenta Paola La Guardia.

Já o Índice de Situação Esperada (ISE) ficou em 132 pontos, 6 também acima do ISE de novembro. “Aqui temos um aumento nas expectativas dos empresários de que a situação econômica melhore nos próximos três meses”, completa a analista.

Pequenas Empresas mais otimistas

As Empresas de Pequeno Porte (EPP) voltaram a ser as mais confiantes em dezembro, com um Iscon de 124 pontos, seguidas pelas Microempresas (ME), 120, e os Microempreendedores Individuais (MEI), 113 pontos. Em relação a novembro, os pequenos negócios de todos os portes aumentaram a confiança em suas atividades: as EPP tiveram uma variação positiva de 9 pontos, as ME de 3 e os MEI de 7 pontos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *